Lenda do Saci – Origem, história e como Monteiro Lobato tornou-a famosa

O folclore brasileiro é muito rico e diversificado, e conta com inúmeras lendas que fazem parte da cultura popular. Onde histórias de personagens fantásticos e curiosos são transmitidas de geração para geração. Por exemplo, a lenda do Saci, que é uma das mais populares, que conta a história de uma entidade que vive nas florestas realizando travessuras. Também conhecido como Saci-pererê, sua lenda surgiu no sul do Brasil devido influência de elementos da cultura africana e indígena. No entanto, faz parte da cultura de várias regiões.

A lenda do Saci ficou nacionalmente conhecida graças à obra de Monteiro Lobato, pai da literatura infantil. De acordo com a lenda do Saci, ele é um ser negro, baixinho, com uma perna só e que gosta de cometer travessuras por onde passa. Por exemplo, ele gosta de bagunçar a crina dos cavalos durante a noite, dando nó ou trançando. Também tem o costume de entrar nas casas e pregar peças como queimar a comida, fazer nó em panos de prato ou sumir com objetos.

Por onde passa, cria um redemoinho levantando folhas e sujeira. Então, quando ele cria o redemoinho é possível captura-lo, para isso, basta colocar uma peneira no meio do redemoinho. Depois, quando capturado, pegue seu gorro vermelho para poder controla-lo. No entanto, por se tratar de um personagem da cultura popular, a lenda possui muitas variações, que muda de acordo com cada região do país.

Lenda do Saci

Portal da Cidade

De acordo com a lenda do Saci mais clássica e popular, ele é uma entidade do folclore brasileiro muito agitado, um ser mítico que habita as florestas. Cujas características são, ter cerca de meio metro de altura (embora algumas lendas afirmem ter até 3 metros de altura), negro, possui apenas uma perna, pode ter os olhos vermelhos. Também está sempre com um gorro vermelho na cabeça, um cachimbo na boca, não possui pelos ou cabelo no corpo e vive pulando rapidamente pelas florestas.

Por gostar de fazer travessuras, é considerado por muitos como um ser endiabrado ou maléfico, já que vive pregando peças nas pessoas. Ademais, não existe apenas um Saci, mas vários deles, podendo ter muitos deles realizando travessuras ao mesmo tempo. No entanto, fazer brincadeiras não é sua única função. Pois, o Saci possui o domínio das matas, denominado como farmacopeia, onde é guardião das ervas e plantas medicinais. Por isso, conhece as técnicas de manuseio, de preparo e de como utilizar os medicamentos provenientes das plantas. Ademais, costuma atrapalhar aqueles que pegam as ervas sem autorização.

Entre suas travessuras preferidas estão, atormentar viajantes que atravessam a floresta durante a noite com seu assovio estridente. Além de, estragar freios de carroças, dar nó em crinas de cavalo e sugar seu sangue para que eles fujam amedrontados e abrir porteiras. Enquanto que nas casas costuma apagar lamparinas, queimar comidas, dar nó em pano de prato, desaparecer com pequenos objetos, assustar crianças e sujar a casa com o vento.

Para captura-lo

Revista Zunai

De acordo com a lenda do Saci, para captura-lo, você deve colocar uma peneira no meio do seu redemoinho de vento. Dessa forma, ele é capturado, então é necessário tomar seu gorro para prendê-lo em uma garrafa. Pois, ao retirar seu gorro, o Saci perde seus poderes sobrenaturais, e para que ele não saia da garrafa é necessário desenhar uma cruz nela.

Ademais, acredita-se que o Saci-pererê nasceu de um broto de bambu, onde ficou por 7 anos. Depois, ele vive por mais 77 anos perambulando pelas florestas e realizando suas travessuras entre os humanos e os animais. Por fim, quando morre, se transforma em um cogumelo venenoso, conhecido como orelha-de-pau.

Origem da lenda do Saci-pererê

Portal da Cidade

A lenda do Saci é originária das tribos indígenas do sul do Brasil, desde o fim dos tempos coloniais. Ademais, o termo Saci é proveniente do tupi sa´si ou çaa cy perereg que é o nome de um pássaro (Tapera naevia). No entanto, esse pássaro é conhecido pelos nomes Saci, Matimpererê ou Martim-pererê, sendo que o nome em tupi é matintape´re. Mas, por ser um personagem do folclore popular, seu nome pode variar de região para região, por exemplo, Saci-Cererê, Matimpererê, Matita Perê, Saci-Saçurá e Saci-Trique.

Primeiramente, na lenda do Saci ele era retratado como um personagem negro e endiabrado, que possuía duas pernas e um rabo. Mas, devido à influência africana, o Saci perde uma das pernas lutando capoeira e adquire o hábito de fumar cachimbo. Quanto ao gorro vermelho do Saci-pererê, advém do folclore do norte de Portugal, que era usado por Trasgo, uma entidade que possuía poderes sobrenaturais.

Lenda do Saci: história

Hypeness

De acordo com estudos realizados por folcloristas, a lenda do Saci remonta do final do século XVIII ou começo do século XIX. Mas, não ficou apenas no Brasil e espalhou para os países vizinhos como Argentina, Uruguai e Paraguai. Onde possui algumas variações é conhecido como yacy-yateré. Cujas características físicas são diferentes do Saci, por exemplo, não é careca, possui cabelos loiros, usa um bastão de ouro como varinha mágica e usa chapéu de palha. Os paraguaios acreditam que o yacy-yateré atrai crianças para fazer maldades com elas. Já os argentinos, acreditam que yacy atrai mulheres solteiras para engravidá-las.

Quando surgiu no Brasil, logo a lenda se espalhou por todo o país incorporando elementos de outras lendas regionais do folclore brasileiro. Por exemplo, a lenda do caipora da região central do país e a lenda do matinta pereira da região norte.

Em sua origem, a lenda do Saci, traz o personagem mítico como um protetor da floresta. Por isso, os folcloristas o consideram como uma entidade derivada da lenda do Curupira, que também é protetor das florestas e seres da natureza. Dessa forma, a medida que a história foi se espalhando, elementos das culturas regionais foram sendo incorporadas à lenda do Saci. Por isso, é natural que tenha variações na forma como sua história é contada.

Monteiro Lobato

CRB-8

A lenda do Saci ficou conhecida nacionalmente graças ao famoso escritor brasileiro Monteiro Lobato, conhecido por criar o Sítio do Pica Pau Amarelo. No ano de 1917, ele fez um inquérito no jornal O Estado de São Paulo sobre o Saci. E seu objetivo era colher respostas dos leitores acerca das variações da lenda.

Ademais, com as respostas colhidas, Lobato escreveu um livro sobre o personagem do folclore brasileiro, sendo o primeiro livro na história do Brasil. Cujo livro se chamava Sacy-pererê e foi publicado em 1918, com dois mil exemplares. Já em 1921, Lobato publicou o livro O Saci, mas, voltado para o público infantil que faz parte da coleção de livros do Sítio do Pica Pau Amarelo.

Por fim, a história do Saci se popularizou e hoje, faz parte do folclore brasileiro, e é contada em escolas. Dessa forma, a lenda do Saci e outras tantas que fazem parte da cultura popular, são passadas de geração para geração, preservando sua importância histórica.

Então, se você gostou dessa matéria, também vai gostar dessa: Lendas Indígenas – Origens e importância para a cultura. 

Fontes: Dentro da História, Toda Matéria, Brasil Escola, UOL

Imagens: A Hora do Medo, Portal da Cidade, Revista Zunai, Hypeness, CRB-8

Essa matéria Lenda do Saci – Origem, história e como Monteiro Lobato tornou-a famosa foi criada pelo site Segredos do Mundo.

Lenda do Saci – Origem, história e como Monteiro Lobato tornou-a famosa Publicado primeiro em https://segredosdomundo.r7.com/

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s