Espécies de macaco – Importância para o equilíbrio do meio ambiente

Existe uma vasta variedade de espécies de macaco pelo mundo, onde cada um deles apresentam suas características semelhantes e diferentes. Ademais, os macacos são primatas mamíferos, e por isso apresentam pelos no corpo e glândulas mamárias. Além disso, apresentam um cérebro desenvolvido, olhos virados pra frente e dedo opositor.

Entretanto, esses mamíferos sofrem bastante com uma redução populacional. Isto é, constantemente eles têm o seu habitat sendo destruído por alguns fatores, o que acarreta a morte de muitos. Por exemplo, o elevado nível de desmatamento e doenças infecciosas.

Normalmente, os macacos comem vegetais, frutas, flores, sementes, raízes e folhas. No entanto, algumas espécies de macaco comem ovos de aves, insetos e pequenos animais. E, eles vivem em regiões tropicais, como as florestas.

Os macacos

UFBA

O termo macaco é utilizado para se referir a algumas espécies de primatas. Ademais, a ordem Primates está dividida em duas subordens: Strepsirrhini, incluindo lêmures e gálagos e Haplorrhini, incluindo társios e antropoides. Vale ressaltar que, antropoides correspondem aos macacos e seres humanos.

Por outro lado, os macacos são mamíferos. Por isso, apresentam pelos em seu corpo e glândulas mamárias, que auxiliam na alimentação dos filhotes com a produção de leite. Além disso, possuem um cérebro muito desenvolvido, olhos voltados para frente e o polegar opositor, que contribui para o manuseio de objetos.

Em síntese, as espécies de macaco são essenciais para o meio ambiente. Pois, podem atuar na dispersão de espécies vegetais, por exemplo.

Riscos que as espécies de macaco enfrentam

O Globo

Diversas espécies de macaco sofrem com uma tendência de redução populacional. Pois, os macacos sofrem diariamente com a destruição do seu habitat. Isto é, o desmatamento, devido o aumento da área agropecuária e uso da madeira, criação de estradas e aumento de cidades. Além disso, a mineração e a caça, para consumo ou como animais de estimação, também afeta esses mamíferos.

Por outro lado, doenças infecciosas também ocasionam a diminuição dessa população. Por exemplo, a febre amarela, que entre 2008 e 2009 matou mais de 2 mil bugios-ruivos e bugios-pretos no Rio Grande do Sul.

Os tipos de espécies de macaco

1 – Os saguis e micos

Gettyimages

Das espécies de macaco, os saguis e os micos são primatas que vivem na América do Sul e na América Central. Ademais, existe 7 gêneros diferentes nessa família, sendo eles:

  • Sangui-anão – Consiste em um primata que vive na Amazônia. Ademais, pode chegar a medir 39 cm de altura, sendo um dos menores saguis que existem.
  • Sagui-pigmeu – Essa espécie de macaco também recebe o nome de sagui-leãozinho. Normalmente, vive na Amazônia e é bastante pequeno.
  • Saguis neotropicais – Apresenta 6 espécies de primatas, sendo eles: sagui-de-tufos-pretos, sagui-de-wied, sagui-da-serra, sagui-da-serra-escuro e o sagui-de-cara-branca.
  • Mico-de-goeldi – Essa espécie vive na Amazônia. Ademais, ele apresenta uma longa e brilhante pelagem preta. Entretanto, não apresenta pelagem no ventre. Desse modo, sua juba é capaz de atingir 3 cm de comprimento. Além disso, os micos são caracterizados pela presença de caninos pequenos e incisivos longos.
  • Mico-leão – Trata-se de pequenos macacos com uma pelagem que se assemelha a aparência de um leão. Assim sendo, sua pelagem é bastante exuberante, sendo facilmente distinguidos através de suas cores. Em síntese, são exclusivos da floresta tropical brasileira. Além disso, podem ser encontrados o mico-leão-dourado, mico-leão-de-cara-dourada, mico-leão-preto e o mico-leão-de-cara-preta.

2 – O macaco-prego

Gettyimages

Dentre as espécies de macaco, na família dos Cebídeos é possível encontrar 17 espécies distribuídas em 3 gêneros. Assim sendo, elas são:

  • Saimiris – Esses macacos também são denominados como macacos-de-cheiro ou macacos-esquilo. Normalmente, eles vivem em florestas da América do Sul e América Central. Desse modo, podem ser encontrados na Amazônia, Costa Rica e Panamá.
  • Macacos-capuchinho – Possuem uma espécie de capuz de pelos brancos em torno do rosto. Ademais, pode chegar a medir 45 cm. E, compreendem 4 espécies, como o macaco-prego-de-cara-branca, caiarara, o Cebus albifrons e o Cebus kaapori.
  • Sapajus – Eles integram um total de 8 espécies, sendo endêmicas da região quente da América do Sul. Ademais, eles são mais corpulentos que os capuchinos, possuindo tufos na cabeça. Por outro lado, os capuchinhos e sapajus fazem parte da família Cebidae, e a subfamília Cebinae.

3 – Uacaris ou cacajaos

Gettyimages

A princípio, são uma família de primatas que vivem em selvas tropicais da América do Sul. Além disso, existe 4 gêneros em um total de 54 espécies.

  • Cuxiús – Consistem em primatas que vivem na América do Sul. Em suma, apresentam uma barba notória que cobre a mandíbula, peito e pescoço. Além disso, apresentam uma cauda grossa que os mantém em equilíbrio.
  • Cacajaos – Esses macacos também são denominados como uacaris, e são conhecidos um total de 4 espécies. Destarte, possuem uma cauda mais curta do que o tamanho do restante do corpo.
  • Parauacus – São primatas que habitam as selvas do Equador, tendo um total de 16 espécies de macaco. Ademais, pertencem a família Pitheciidae e a subfamília Pitheciinae.
  • Callicebus – São macacos que habitam o Peru, Bolívia, Brasil, Paraguai e Colômbia. Ademais, podem chegar a medir até 46 cm e com uma cauda com 10 cm mais longa. Por fim, apresentam um total de 30 espécies.

4 – Os Bugios

Uol

Geralmente, são encontrados por toda a América Central e América do Sul, inclusive a parte sul do México. Ademais, apresentam 5 gêneros e 27 espécies nessa família.

  • Bugios – São espécies de macaco que habitam áreas tropicais, como a Argentina e o sul do México. Em suma, seu nome é proveniente do som que emitem ao se comunicar, como em situações de perigo. Além disso, pertencem a família Atelidae e a subfamília Alouattinae. Ademais, possuem o rosto curto e o nariz arrebitado, podendo chegar a 92 cm de comprimento.
  • Macacos-aranha – Apresentam a ausência de um polegar opositor em seus membros inferiores e superiores. E, são encontrados no México e na América do Sul. Por fim, podem medir até 90 cm, com cauda de tamanho similar.
  • Muriquis – Podem ser localizados no Brasil, e possuem tonalidade cinza ou marrom. Ademais, é o maior gênero platyrrinos, contendo 2 espécies.
  • Lagothrix – Também denominado como macaco-barrigudo, são primatas que habitam selvas e florestas da América do Sul. E, podem chegar a medir 49 cm, e apresentam pelagem lanosa, amarronzada ou castanha.
  • Oreonax flavicauda – Trata-se da única espécie do gênero Oreonax, endêmica do Peru. Entretanto, é uma das espécies de macaco que está em alerta de ameaça de extinção. Por outro lado, podem medir até 54 cm e com uma cauda maior que o corpo.

5 – Os macacos do velho mundo

Gettyimages

Os macacos do velho mundo, também denominados como Cercopitecidos, pertencem a parvordem Catarrhini e à superfamília Cercopithecoidea. Em suma, é constituído por um total de 21 gêneros e 139 espécies de macaco. E, habitam a África e Ásia.

  • Babuínos – São terrestres e costumam escalar árvores, optando por habitats abertos. Ademais, são os maiores macacos do velho mundo, tendo cabeça longa e magra, além de uma mandíbula com caninos fortes.
  • Macaco-narigudo – Consiste em um primata endêmico da ilha de Bormeo. Por isso, contém um nariz comprido, de onde provém o seu nome. No entanto, estão em alto risco de extinção, existindo apenas 700 exemplares atualmente.
  • Erythrocebus – É um primata da África Oriental, morando em áreas de savanas ou semidesérticas. Ademais, podem chegar a medir 85 cm e com uma cauda 10 cm mais curta. Curiosamente, é um dos primatas mais rápidos, pois alcançam 55 km/h.
  • Macaca – São espécies de macaco encontrada na África, China, Gibraltar e Japão. Logo, apresentam uma pequena cauda desenvolvida ou nenhuma cauda.

6 – Espécies de macaco: Macaco da noite

Gettyimages

Dentre as espécies de macaco, o macaco da noite consiste no único gênero de primatas da família Aotidae. Além disso, podem ser encontrados nas florestas tropicais da América do Sul e a América Central. Ademais, pode alcançar a medida de 37 cm, assim como o tamanho da sua cauda. Mas também possuem uma espécie de manto castanho ou cinza que cobre suas orelhas. Por fim, como diz respeito o seu nome, é um animal com hábitos noturnos, tendo olhos muito grandes e uma esclera alaranjada. E, trata-se de um gênero com um total de 11 espécies.

7 – Sagui-imperador ou Bigodeiro

Gettyimages

É uma espécie de macaco que atrai a atenção devido à presença de um bigode branco. Logo, ele pode ser encontrado, no Brasil, nos estados do Acre e no Amazonas. Mas também, pode habitar outros países amazônicos, como Peru e Bolívia.

Então, se você gostou dessa matéria, também vai gostar dessa: Maior mamífero do mundo – Maiores espécies conhecidas pela ciência.

Fontes: Brasil Escola, Perito Animal, Amazônia

Imagens: Lu Panisson, UFBA, O Globo, Gettyimages, Uol

Essa matéria Espécies de macaco – Importância para o equilíbrio do meio ambiente foi criada pelo site Segredos do Mundo.

Espécies de macaco – Importância para o equilíbrio do meio ambiente Publicado primeiro em https://segredosdomundo.r7.com/

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s